15 janeiro 2010

Sem tremer

.
Há uma ilusão persistente de que a cura será sem dor, que as coisas vão se acertar e tudo vai melhorar e as pessoas começarão a se entender e a natureza abrandará seus rigores. Não vai dar. Há carma demais, ódio demais, doença demais para que seja assim tão suave. Muita coisa vai quebrar, já começou.
..
Há um sentimento oposto -outra reação ao mesmo medo-, que é o desejo intenso de punição, uma contrariedade diante de qualquer melhora ou boa notícia, uma ânsia de catarse, um sarcasmo que impede o perdão, uma amargura seca, um fogo da vingança.
...
Por agora, algumas explosões fanáticas: novos ataques de um islamismo homicida, pastores racistas norte-americanos que oram pela morte de seu presidente, neo-nazistas europeus preparando mais uma temporada de caça, além dos crimes bizarros cotidianos. Tudo, entretanto, contido pelo inverno no hemisfério norte e pelas chuvas no sul. Quando vier o tempo da seca, das ondas de calor extremo, dos incêndios, das tempestades de poeira, aí a loucura coletiva -com ou sem disfarces religiosos e ideológicos- irromperá num espetáculo de fúria.

3 comentários:

LuHelena disse...

Cara, o teu post de ontem tá de tremer mesmo. Ui, chegou a me arrepiar toda...
Concordo que muitas de tuas palavras correspondem aos fatos. Nu e cruamente.
Mas, precisava fazer a gente tremer tanto?
Só para suavizar, a fúria e a loucura coletiva por vir (ou melhor, considerando-se que tudo tem dois lados que se antagonizam e, a um só tempo, se complementam) eu diria, face a sua visão apocalíptica, que a beleza, a ternura, a doçura, a delicadeza - enfim, a vida, ainda reina em muitos lugares dentro e fora da gente. Nem tudo tá perdido quando estamos conectado com a VIDA em sentido amplo e em suas múltiplas dimensões.
Vamos tomar um cálice de vinho?
Um cheiro,
luHelena

NN disse...

Leio agora esse apocalypse now. Calma la', cuidado com a impaciencia... tem muito carma de bem e muito amor demais por ai. Muita coisa pode ser consertada antes que se quebre. Se nào pra que se levantar de manhà, beijar os filhos, aprender uma nova cantiga ? "Viver é dor. Viver bem é trabalhar com os outros para diminuir a dor" disse o Buda. Mas é claro que vai ter muita prova também... Preparar para viver os sorriso da dor. Na paz e no bem NN

Thiago Silva disse...

Caro Toinho, não sei como comentar sem a pieguice de puxar seu saco. Mas vou tentar. Vc, como sempre, escreveu direto e com muitos sentidos! Muito bom mesmo!!! Parabéns! Para terminar, lembrei de um trecho de um hino:
"A terra treme e o mar balanceia/ Quem não tiver firme óh meu Deus que coisa feia..."

Paz e alegria!!
E sempre esperanças de bonança!