26 outubro 2009

Pra clarear

Na terça-feira, dia 20, recebi um e-mail do Jairo Carioca, outro irmão de fé que anda pelos caminhos do jornalismo e agora está trabalhando no site Ac24Horas. Tinha lido uma nota na coluna do Leo Rosas informando minha desfiliação do PT e queria fazer uma entrevista. Mandou seis perguntas, que procurei responder rapidamente, de maneira coloquial e sucinta. No dia seguinte viajei para Brasília e quando retornei recebi o recado de que a matéria havia sido publicada no sábado. Resolvi, então, mostrar aqui a íntegra das perguntas e respostas para que possamos depois conversar sobre política. Quero que minhas opiniões fiquem claras e devo aproveitar o bom ânimo que encontrei na viagem para desfazer confusões. Fica aberta, assim, uma temporada de política neste blog, desde que não se perca a poesia, sempre necessária.

.

1 - Sua decisão tem algo a ver com a decisão da senadora Marina Silva, hoje no PV?

Tem tudo a ver. Já estou afastado do PT há muito tempo, há vários anos não participo da chamada "vida partidária". Mas não havia necessidade de formalizar minha desfiliação. Agora a situação mudou, porque a Marina provavelmente será candidata a Presidente pelo PV e eu pretendo, é claro, fazer campanha pra ela. Desvincular-me do PT é uma medida prática para evitar constrangimentos políticos ou problemas jurídicos para mim ou para outras pessoas.

.

2 - O PV entre outras ideologias, defende a legalização da maconha. O que vc diz sobre o fato de ir para um partido que defenda essa ideologia?

Não creio que seja necessário filiar-me ao PV para participar da campanha da Marina. De todo modo, parece que o PV vai aprovar uma espécie de "cláusula de consciência", pela qual seus filiados não serão obrigados a defender posições contrárias às suas convicções religiosas e éticas.

.

3 - O PV também defende o aborto. Vc acredita em mudanças de paradigmas, ou seja, que com as novas adesões, inclusive a de Marina, o partido mude de concepções?

Nenhum partido defende o aborto. Mas vários defendem a sua descriminalização, entre eles o PT e o PV. Creio que a posição desses partidos não vai mudar. Mas a tendência é que essa questão não seja central e obrigatória; portanto, não resultará em problemas para a Marina ou qualquer outro filiado que tenha idéia discordante. Acho que o PV vai exigir consenso em questões básicas relacionadas ao desenvolvimento sustentável, a conservação ambiental, a justiça social etc. Mas isso é apenas uma previsão pessoal, afinal não sou filiado ao PV.

.

4 - Você, Marina e Binho fazem parte da fundação do PT no Acre, porque largar tudo depois de tantas lutas e conquistas?

Largar o quê? A gente se filia a um partido pra defender uma causa, não para ficar agarrado ao poder político ou status social. Neste momento, o futuro da humanidade está em questão, as mudanças do clima no planeta encurtam todos os prazos e o mais importante é fazer com que o povo discuta esse assunto e pressione os políticos a tomarem decisões. Todas as lutas e conquistas que tivemos até agora são importantes, mas são pequenas diante da enorme batalha que temos pela frente.

.

5 - Até que ponto vc acredita que Marina Silva poderá ser bem sucedida na campanha presidencial? Que motivos o eleitor acreano teria para votar em Marina e não na candidata de Jorge, Tião e Lula?

A candidatura da Marina ainda é uma mera possibilidade, mas já provocou mudanças enormes no quadro da disputa eleitoral. Mudanças na forma e também no conteúdo, pois a chamada "questão ambiental" entrou definitivamente na pauta de todos os candidatos. Que motivo o eleitor terá para votar na Marina? Simples: ela tem uma proposta para nossa vida, um outro tipo de economia e sociedade. Os outros candidatos tem alguma proposta melhor?

.

6 - Para não tomar muito o seu tempo, a Frente Popular de hoje é a mesma criada na década de 90?

É claro que não. Hoje é muito maior, mais poderosa e mais conservadora. Mas isso é natural: assim como as pessoas, as organizações e instituições também envelhecem. A Frente Popular foi um importante instrumento de ação política para esta geração. As novas gerações criarão outros instrumentos. Tudo no mundo se acaba, não é mesmo?

.

8 comentários:

Picaretas da Távola Redonda disse...

Olá Toinho,

quero parabenizá-lo pela sua atitude. Acho que foi corajosa. Independente das minhas resalvas em relação a Marina, acredito de fato que sua entrada na disputa presidencial já mexe com o marasmo arquitetado pelos donos do poder.
No entanto, dizer que acredito nesse PV que Marina está se propondo reconstruir é dificil.

Danilo disse...

Salve Toinho. Novo blog bom, né? Cadê o Espírito da Coisa?
Visite também: Canibal Visual.
Entrei na rede, compartilhando idéias, arte e outras coisas...
Abraços.

Marisa Fontana disse...

Algumas instituições envelhecem, outras caducam.
Envelhecer é bom caducar não.

Acreucho disse...

"A gente se filia a um partido pra defender uma causa, não para ficar agarrado ao poder político ou status social".
Bem Antonio, a frase faz todo o sentido, para quem tenha um mínimo de sentimento democrático, porém, para os políticos brasileiros em geral não tem a mínima importância, porque eles fazem exatamente o contrário. Embora o PT ainda seja um partido forte, está, a gente queira ou não, os dirigentes assumam ou não, acontecendo uma "descontrução". O PT em si não é mais forte, o PT só é forte por causa do Lulismo.

LuHelena disse...

Boa, muito boa, Antônio.
Faço de tuas palavras as minhas.
Ninguém pensa - muito menos o PT - que é preciso colocar já o Brasil (e a Amazônia) em outro patamar civilizatório fundado na ética da sustentabilidade.
Aliás, essa é uma questão, obviamente, planetária, da nossa "Terra Pátria" (ou Mátria) que atinge a tod@s. Uma questão urgente para a sobrevivência elementar de todos os seres vivos que ainda não se extinguiram, inclusive nós ditos humanos... E, isso, para mim, só a Marina como possível candidata à Presidência da República compreendeu profundamente. A única!!! Os desafios históricos do século 21 são outros, mas os demais pré-candidatos teimam em permanecer no século passado - ultrapassados pelo tempo.
Parabéns pelas respostas da entrevista!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
bjus,
lu

Ana disse...

Ei Toinho!

Seja bem vindo!
Trilhar novos caminhos é preciso...
Há uma ponta de energia nova e forte e esperançosa nas tuas respostas...
Que sejam bons presságios!

Mesmo com a temporada politica estando oficialmente aberta no teu blog, peço licença ao Thiago de Mello (só pra poesiar um pouco), pois ele escreveu alguma coisa mais ou menos assim:
"Não há um caminho novo...
O que há de novo é o jeito de caminhar..."

Os caminhos estão abertos...
Então... Namaskar...

Matheus Braz disse...

Ano que vem vai ser a primeira vez que votarei e MARINA SILVA JÁ TEM O MEU VOTO.
Antes do PV fazer o pedido para ela mudar de partido eu já tinha ouvido falar desta senadora, mas por ela ser do PT(partido qual desde os meus 10 anos governa o nosso país de forma irresponsável e ignorante, gerando escândalos na política quase diários) nunca achei que ela era esta pessoa inteligente, consciente e admirável que é! Tenho que confessar que logo depois de ouvir falar tanto dela na mídia pesquisei sobre esta incrível mulher, procurei e vasculhei, desconfiado, informações na tentativa de achar o que ela tinha feito de errado para chegar ao cargo de ministra, se seu discurso era real e se ela era realmente uma pessoa capaz.
Cheguei a conclusão que ela pode ser a única pessoa que pode tratar dos assuntos do Brasil como uma representante do século XXI, salvar o Brasil da ignorância tanto cultivada pelos políticos de nosso país e mostrar ao mundo a potência econômica sustentável que o nosso país pode se tornar. No ano de 2011 espero ver como representante de nosso país esta mulher extraordinária fazendo valer o que diz em nossa bandeira: ordem(1º) e progresso(depois).

grilo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.