24 abril 2009

Poesia adiada

Passei aqui pra deixar uma poesia.
Mas quando eu vinha pra cá, dobrando ali a esquina,
encontrei um mendigo que precisava dela
mais do que eu, mais do que vocês.
Fica pra próxima, tá?

2 comentários:

Natalia Jung disse...

adorei o ávida vida

Nilton disse...

Gostei muito dessa poesia, ela representa bem a pós-modernidade, a qual a invidualidade é marcado pelo poder econômico. Poesia essa que vale uma esmola. Sei que a intenção era essa, acredito.